Muitos casais entram em ciclos de brigas por não saberem abrir seus coraçõesnem para si e nem para o outro.

As pessoas que mais tem dificuldade em abrir o coração são aquelas que já passaram por decepções amorosas (quem nunca?)

A cada decepção que vivemos é como se nosso coração fosse criando camadas de proteção, cada vez mais fortes e grossas.

Pode chegar ao ponto de querermos tanto bloquear a dor, raiva, medo e a decepção que acabamos por não sentir mais nada.

Isso acontece por que as emoções não são ruins ou boas, elas apenas são mensageiras que vem te falar se alguma necessidade ou limite está sendo atendido/respeitado ou não.

Só que quando bloqueamos uma emoção, na verdade estamos bloqueando o caminho de todas as emoções.

Aí, nem nós e nem ninguém consegue acessar nosso coração – o Autoconhecimento não acontece e muito menos a conexão com o outro.

Mas calma, nem tudo está perdido, existe uma chave 🗝️ que pode abrir de novo seu coração!

Ela se chama Vulnerabilidade!

Como você se sentiu ao ler essa frase?

Sentiu um desconforto? Um medinho? Um frio na barriga?


Então você está no caminho certo.

O que é Vulnerabilidade?

Vulnerabilidade é a habilidade de expor intimidade mesmo que exista o risco de desconexão com o outro, ou seja, é falar sobre suas questões mais sensíveis mesmo com medo de que a outra pessoa te rejeite ou se afaste.

É justamente a vulnerabilidade que vai te permitir entrar em contato com aquilo que ficou trancado no seu coração – e aos poucos tirar as camadas que estão te impedindo de se conectar de forma profunda com o outro e desenvolver real confiança.

Nayara Rosa

Aqui entra a importância do autoconhecimento!

Quando nos conhecemos:

Se eu sei de mim, consigo compartilhar.

Essa é a hora que entra a vulnerabilidade, a mesma que vai permitir que a sua relação desenvolva confiança.

A vulnerabilidade e a confiança crescem proporcionalmente dentro da relação e se retroalimentam.

Matheus Dias

Cada vez que nos colocamos vulneráveis estamos dando a oportunidade de criar confiança nas nossas relações.

Se temos confiança, nos permitimos ser mais vulneráveis – e assim por diante.

Podemos ver a confiança como o acúmulo de muitas situações bem sucedidas de vulnerabilidade.

Por exemplo:

Você respira fundo e conta pro seu/sua Tesudo/a sobre como você é insegura/o com relação ao seu corpo e por isso qualquer comentário feito a esse respeito te deixa triste e envergonhada/o.

Mesmo com medo do outro fazer uma piada sobre o assunto, achar besteira ou até usar isso contra você, você fala mesmo assim.

Uma situação bem sucedida é ser acolhida/o, ouvir que o outro é grato/a pela sua abertura e vulnerabilidade, que não quer te machucar, que te ama apesar da sua aparência e que vai tomar cuidado ao tocar no assunto (EMPATIA).

Nesse momento a outra pessoa ganhou uma moedinha da sua confiança!

Você acumula moedas no Cofrinho da Confiança daquela relação

Essas situações vão se acumulando e nos permitindo cada vez ser mais vulneráveis, criar mais conexão e ter mais segurança, acolhimento e aconchego na nossa relação.

A vulnerabilidade é a porta que podemos abrir e permitir que o outro nos veja, por inteiro nas nossas partes mais sensíveis.

Nayara Rosa

Abrir essa porta exige CORAGEM.

No começo é comum termos mais dificuldade, mas lembre-se:

Vulnerabilidade é uma habilidade que podemos aprender e nos aperfeiçoar com TREINO.

Experimente começar com temas que são sensíveis, mas que você sinta mais facilidade e abertura, que te dão um certo medo da desconexão, mas é um medinho suportável e que ter uma resposta negativa do outro não vai te destruir (autoconhecimento de novo ai né Tesudas e Tesudos).

Já fez esse exercício?

Faça e veja a seu coração se abrir de novo.

Nayara & Matheus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.